Dez a fio de repentes

Dez a fios de repentes

.

1) Quem junta trapo
Não adquire coisa nova
Não tem espaço, não renova
Envelhece com o que tem

 .

2) Pois põe pra fora
Toda essa tralha agora
Quero o novo, vida nova
Quero aquilo que faz bem

3) Cheiro de novo
É o melhor cheiro que tem
Cheirar mofo tá por fora
Não faz bem para ninguém

 .

4) Já não sou moço
Mas digo o que me convém
A mágoa é uma bebida
Que o Diabo não fica sem

 .

5) Procurei Deus
Por infinitos lugares
Por montanhas e altares
Até nas terras do além

 .

6) Pois ouça bem
O que vou dizer agora
Deus  no seu coração mora
E é uma luz que te mantém

7) Não deixe Deus
Ofuscado na maldade
Por Deus tenha piedade
Dê o seu perdão também

 .

8) Peso do corpo
Vai sentir muito leve
O rancor de nada serve
 Sem perdão a paz não vem

 .

9) Aprendi cedo
Não ficar juntando trapo
Não  ficar beijando sapo
Com respeito o irmão tratar

.

10) Pessoa é vida
Toda vida à Deus pertence
E se Deus respeita a gente
Devemos o irmão amar
 .
Letra e Música: Sandro Ernesto

Você pode gostar...

19 Resultados

  1. Além de poeta é cantor…. parabéns ficou bem bolado… Boa tarde.

  2. Que letra maravilhosa! Parabéns Sandro!

  3. gülüş disse:

    Çok etkileyici

  4. Adorei a letra… o poema e a mensagem…

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: