Simples sim, please

sim-please
.
Até quando ostentarás teu brasão
Anunciado aos toques dos clarins
Até quando a tua veste serás seda
Tentando impor tua soberba a mim
.
Até quando degustarás nobreza
E brindarás em cristal teu vinho
Pois a cova em que farás ninho
Tem sete pés exatos na natureza
.
Detém-me um sorriso espontâneo
Um olhar de expressão mais jovial
Toca-me a alma um toque cutâneo
.
Uma mente de teor contemporâneo
Que cante gentileza em palavras sutis
e encante em devaneio momentâneo
 .

Autor : Sandro Ernesto 23/03/2013

Você pode gostar...

10 Resultados

  1. meu querido Sandro, poeta e amigo e músico e tudo de bom que a vida nos traz em suas águas, gosto muito ao ler um poema ou um texto destacar passagens que me tocam, de forma profunda e definitiva. eis que teu poema vem com dois versos fantásticos: “…A cova em que farás ninho / Tem sete pés exatos na natureza…”. Magnífico! desses versos que nos acompanham por todo o tempo. muito obrigado por mais sensibilidade na rede. um abraço carinhoso e sempre amigo.

    • panografias disse:

      Meu querido amigo Fernando… vou deixar minha gratidão responder primeiramente ao seu comentário. Daqui à pouco as palavras fluirão… aguarde-me!

    • panografias disse:

      Na realidade meu querido amigo… você me deixou sem palavras. Existe algo mágico que acompanha estas representações gráficas dos fonemas que é inexplicável. O conjunto delas tem o grande poder de nos inspirar, de nos comover, de nos alegrar, de nos fortalecer quando este é o intento. Quando acariciadas com zelo, toca nossa alma e transcende… assim como é em seu comentário. Obrigado por existir, meu caro! Obrigado pelas palavras carinhosas! Obrigado sempre! Que seus dias sejam abençoados… Grande e fraterno abraço!

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: