Tu quoque, Brute, fili mi!

.

Poderes sem pudores

Apunhalam a democracia.

Promessas sem premissas

Preferidas são proferidas.

A ganância paga propina.

O diabo faz delação.

O ignorante levanta bandeira,

Sem noção nessa nossa nação.

.

O imposto é imposto.

É um tantão para o velho,

E tantã fica o moço.

Lambemos o fundo sem garantia,

Mas o congresso com graça fica com o grosso.

A cor do acordo de conveniência fica azul,

Para sair logo do vermelho.

E o povo acorda com a corda no pescoço,

Com cara de palhaço ao olhar no espelho.

.

O que está em jogo,

É jogar no xadrez.

Carmem mirando o tabu,

Que do tabuleiro quer o Supremo suprimir.

O que o corruptor grava é grave,

É o que nunca mais queremos ouvir.

Não somos república de bananas!

Que o corrupto morra na prisão!

“Todo poder emana do povo”

Diz o parágrafo único da constituição.

.

Autor: Sandro Ernesto 24/05/2017

.

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. #lerehbom... disse:

    2017… e tão recente em algumas coisas não eh mesmo meu amigo…o Brasil realmente caminha a passos de tartaruga em alguns aspectos

    • panografias disse:

      É verdade minha amiga, por isto acho estes registros poéticos necessários. Na hora que acontecer é só reblogar rsrsrsrsrs… fica mais fácil! Obrigado pelo carinho de sempre minha querida amiga… tenha um fim de semana pra lá de abençoado! Beijo no coração

    • #lerehbom... disse:

      Obrigada….tudo de bom pra você e sua família!Segue meu abraço amigo!

  2. Odonir Oliveira disse:

    Excelente. Impressionante como você dança com os sons e os significados das palavras. Abraço.

    • panografias disse:

      Bom dia minha querida amiga… que sua semana seja produtiva e iluminada! Realmente eu adoro brincar com estas sonoridades, acho que a partir daí nosso pensamento fala mais alto e a mensagem fica mais leve kkkkkkkkk. Obrigado sempre! Beijo no coração

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: