Apartheid Político ou golpe ?!

Bandeira do Brasil, criação fotográfica de Culiculicz.

Bandeira do Brasil, criação fotográfica de Culiculicz.

 

          Peço licença ao povo africano ao usar a palavra APARTHEID, visto que a mesma tem sinônimo de segregação racial na África do Sul e que MADIBA combateu incansavelmente até nos seus últimos dias. Apartheid [apartáid] (pronúncia em africâner: [ɐˈpɐrtɦəit], significando “separação”). Nas minhas poesias tenho dito que “Apartheid é estupidez humana“ e sobrevive ainda nos dias de hoje com a alcunha de “preconceito racial”.

          Ao tomar a liberdade de fazer a analogia que intitula esta crônica, pergunto: qual é a resposta para tal pergunta?! Poderia responder com a assertiva: Diga-me com quem andas e te direi quem és! Na minha humilde concepção, a maioria de nossos parlamentares cometem o crime de Receptação Culposa, no mínimo [ Art. 180 – Adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculte ]. Não cabe aqui debate, réplicas e tréplicas, dado a minha ignorância sobre o Código Penal Brasileiro. Só sabemos que é um “toma lá dá cá” escancarado.  A verdade é que romper com esta prática implica a uma segregação política e isto torna-se cada vez mais evidente. E esta tem sido a regra do jogo até o presente momento. Democracia ?! Bem… é o melhor que temos para hoje ( SQN ). É notória a crise institucional e política que se instala no país. Estamos vivendo momentos importantes na história do Brasil e dizer que impeachment é golpe é dizer que nossas instituições não funcionam. E ao dizer que não funcionam, assumimos a ideia de que não há legitimidade no todo. E insistir nesta tecla é dizer que estamos a esmo, ou seja, desgovernados. Ora… que precisamos de uma reforma política urgente, isto já ficou bem claro. Que não podemos ser governados por apenas um partido, isto ficou mais claro ainda. Que nosso modelo atual de governabilidade precisa fazer upgrade de uma versão mais atual de democracia, isto é fato.

          Ainda que moralidade e ética não estejam em pauta, o que posso dizer é que, as instituições estão começando a funcionar, sim. A justiça tarda, mas não falha… às vezes equivoca. E neste embate defesa X acusação, o Oscar de melhor ator coadjuvante vai para… “o Marketeiro” (não confundir com profissional de marketing). São eles os responsáveis pelo currículo e propostas apresentadas nas campanhas eleitorais, e se elas não correspondem com a realidade, “a vaca vai pru brejo”. Transformar Sassá Mutema em “O Salvador da Pátria” quase sempre é um ótimo enredo para teledramaturgia brasileira. A vida imita a arte ou vice-versa?! Ainda que os pessimistas de plantão prevejam o caos instalado, eu particularmente vejo com bons olhos toda e qualquer mudança significativa que seja. E na altura do campeonato, alguém deve estar se perguntando: afinal de contas ele é coxinha ou petralha ?! Limito-me a dizer que sou apenas Brasileiro e que deixo estas prerrogativas para as militâncias partidárias. Eu sou Brasileiro, com muito orgulho, com muito amor…

Sandro Panografia 06/05/2016

Você pode gostar...

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: