Transmutação

Transmutação
Meu banho é de raios solares
Soul free nas calotas polares
Sou solto no planeta à mar
A evoluir de passagem
Sou mitose ou mutação
De salto quântico, a transformação
É um mantra que ecoa em mim
.
Sou sombra que sai a bailar
Da caverna a cantarolar
Reciclo as verdades sim
Ali é nada o tudo
A seita não aceita a razão
Certeza é contra adição
Do início, começo no fim
.
Dos doze solares sou áries
Sofri com as fases lunares
De lua, eu sou de aluar
Química, reggae nos ares
Que me carregue no amor
Química, regue de paz
Como se rega uma flor
.
Sou sombra, quiça a bailar
Da caverna a laialaiar
Meu ciclo é encerrado assim
Ali eu nado no tudo
Contudo afogo a razão
Certeza é com tradição
Meu começo está no fim
.
Letra e música: Sandro Ernesto
 28/03/2014

Você pode gostar...

10 Resultados

  1. Que bom saber que gostou de ouvir Isa… fico feliz ! Foi um desafio, trazer a poesia entre aliterações e paranomásias para a música e torna-la pulsante, de forma harmoniosa e meditativa. Creio que consegui meu objetivo. Obrigado minha amiga… um forte abraço !

  2. mskawanami disse:

    Mais uma canção do Sandro, legal!

    =)

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: