A chuva

.
          A chuva era torrencial. Raios riscavam o céu. Pude ver o desespero da família do condutor naquela situação. A roda dianteira presa e a enxurrada a invadir o interior do carro. O socorro naquele momento parecia uma péssima ideia. Protegidos da chuva por uma marquise na parte mais alta, um grupo de jovens alheios ao perigo, manuseavam seus celulares. Parei o carro.
_ Não vamos conseguir Sandro! Disse meu amigo
_ Façamos nossa parte! Se não conseguirmos, ficaremos de banho tomado!  Disse rindo (esta é a hora em que meu humor mata qualquer um de raiva)
       Fazíamos força, mas o carro sequer balançava. Mesmo com a ajuda do condutor, já que no interior do carro só havia gestante, idosas e crianças. A certa altura pararam.  Passaram a me olhar com certa incredulidade o esforço que fazia. Recusava-me a parar. Não sei se era porque acreditava ou porque a chuva me parecia uma benção naquele momento. O grupo de jovens agora ria daquela situação. Eu insistia com a ingenuidade de uma criança.
Não demorou muito e um carro parou. Desceu alguns rapazes que vinham da academia. E logo em seguida mais outro carro. E um terceiro.
_ Não convida a gente para a festa, não?! Brincou um dos rapazes.
Foram tantos braços que deixaram outros tantos de fora e em poucos segundos o carro estava livre para seguir.  Valeu a pena parar. Valeu a pena acreditar. Valeu a pena a chuva.
Anos mais tarde assisti o vídeo abaixo e chorei. Confesso que me vi ali. Esta cena inspirou-me no trecho de uma música minha ( Amanheceu ) que diz : … faça a diferença, estenda sua mão… um gesto de carinho já faz a revolução ! E fez…
Beijos no coração de todos!  ( Sandro Ernesto 10/04/2017 )

.

.

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Amei… Já passei por algo assim

  2. vorbebune disse:

    Impresionante el vídeo!

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: