A lesma

.

          Estava agachadinho (de cócoras) no quintal de casa um bom tempo, absorto observando o bichinho. Minha vontade era espremer aquele animalzinho esponjoso. Como faz para andar? Será que tem perninhas escondidas? É baba ou xixi aquele rastro? Meus pensamentos foram dissipados com a chegada do meu irmão Luís.

— É lagarta! Afirmou como tivesse lido meus pensamentos.

— É lesma, Sêo Burro! Contrapôs nossa vizinha Cassandra, juntando-se a nós sem pedir licença. Não vê que ela deixa rastro? Já viu lagarta fazer isto? E sem direito a réplica Cassandra emendou empolgadíssima:

— Vamos botar fogo nela, Luís? Pega o fósforo… vou pegar o álcool, tá? E saíram na carreira os dois. Tentei salvar a candidata à Joana D’Arc empurrando-a com um graveto, mas ela apenas se contorceu. Não houve tempo. Cassandra se posicionou frente a frente, abriu a garrafa de álcool e deu as últimas instruções:

— Na hora que jogar o álcool, você risca o fósforo, entendeu Luís? O *”Tatu de botas” concordou prontamente.

          Tudo aconteceu em frações de segundos. Literalmente, o tiro saiu pela culatra.  Ao riscar o fósforo antes que o álcool caísse, o fogo invadiu o interior da garrafa assoprando o líquido diretamente na cabeça do meu irmão. Atônitos, assistimos Luís em chamas, correndo feito “motoqueiro fantasma” aos berros. Presenciei dois fatos que marcariam nossas vidas para sempre: O perigoso experimento da garrafa de Whoosh” e o ato de coragem da minha mãe, que sem pensar apagou o fogo entre as pernas com a saia. Graças a esta atitude heroica, as queimaduras foram menos graves e depois de adulto, só sobrou uma pequenina cicatriz no pescoço como recordação.

— Não era saia Sandro… Era um vestido plissado que ficava caidinho no corpo. Por isto parecia uma saia. – Corrigiu minha mãe recentemente e emendou: Como é que você se lembra de tudo isto? Você devia ter uns 3 a 4 anos de idade, uai… Acho que isto aconteceu em 66.

— Não sei mãe… Só sei que a senhora literalmente ficou com fogo entre as pernas! Gargalhei com bom humor de sempre.

— Palhaço! Só você para me fazer rir, Sandro! Disse-me caindo na gargalhada também.

          Aprendemos muito cedo que com fogo não se brinca, muito menos com inflamáveis. Ver nosso irmão chamuscado nos deixou assustadíssimos. Por ironia do destino, a lesma não morreu queimada. Naquela confusão toda acabei pisando “sem querer querendo” na pobre coitada!

Sandro Ernesto 14/02/2021

 

*Tatu de botas = expressão carinhosa dos mineiros equivalente a bobo; bocó ; abestado

Você pode gostar...

30 Resultados

  1. chica disse:

    Bah! Que susto esse.,Imagino o coração da tua mãe saindo bpela bôca…Credo! Mas as criaças aprontam em suas experiências!!! Ainda bem, tudo acabou “bem”…Poderia ter dado um grande problema… Fica o lembrete em não brincar com o fogo… Muito bem contada a história e linda a foto!E, parece que era destino o fim da lesma,rs…Não foi de um jeito, foi de outro,rs…abraços, chica

    • panografias disse:

      Chica… prometi a minha mãe que escreveria sobre fatos que aconteceu na nossa infância. Talvez saia um livro e se tivesse que escolher um título seria: “Relatos probatórios para beatificação em vida de uma Mãe” kkkkkkk. Apesar de ser escrito em tom de humor, serve de alerta para mães de primeira viagem. Os perigos que rondam uma criança às vezes está em subestimar sua mente criativa. Obrigado sempre minha querida amiga! Tenha uma semana abençoada e produtiva… beijo no coração!

  2. chica disse:

    O título está ótimo…Com certeza as mães garantiram sua cadeirinha no céu…rs…Eu que o diga, com 4 juntinhos que tive( em 5 anos ,4 filhos) e depois 4 adolescentes juntinhos!Aff… Mas foi legal, voltaria com prazer a viver tudo aquilo…abraços,chica

  3. estevamweb disse:

    Nuuuuuuuuh… Ainda bem que não o conheci quando eras criança rsrsrrsrss de passarinhos mortos com detefon a taturana ou lesma queimadas… Meu Deus! Tua mãe devia ficar com chamas na cabeça rsrsrsrs

    • panografias disse:

      Qual a parte de tentar salvar o bichinho da condenação à fogueira você não entendeu Estevam?! kkkkk Fui totalmente inocente neste episódio (apesar de pisoteia-la sem querer querendo rsrsrsrs). Estou no processo de beatificação de minha mãe em vida kkkkkkk Abraços!

    • estevamweb disse:

      Imagino. Minha mãe me dava uns dois ou três coros por dia. Detalhe: pela manhã trabalhava com meu pai e à tarde estava na escola… Imagine se ficasse mais tempo em casa… rsrsrss Se tua mãe fosse brava pelo menos um terço da minha…

  4. Bia Perez disse:

    Nossa! Imagino o coração na mão de sua mãe neste episódio. Tiveram que agir rápido todos. Me faz pensar sobre tantos sustos que demos na infância para os pais. Aja coração. Anjo da guarda trabalhando muito. Abraços

    • panografias disse:

      É verdade Bia… estas crônicas são confissões de travessuras explícitas. Hoje faço ela rir, mas já passou por poucas e boas. Põe anjos da guarda nisto kkkkkk, 11 filhos não é para qualquer uma não viu? Obrigado pela leitura e comentário minha querida amiga… beijo no coração!

  5. Sempre bom ouvir seus causos. Abraços ‍♀️

    • panografias disse:

      Cristileine… sempre que escrevo algum causo de família, primeiramente direciono o link para minha mãe. que lê imediatamente em voz alta para meu pai. Assim que acaba de ler, ela me liga ainda rindo agradecendo a forma humorada de descrever os fatos. Na realidade é um verdadeiro teste para cardíaco para qualquer mãe. Não posso mudar o que passou, mas posso descrever de uma forma que “vale a pena ler/ouvir de novo” com as seguintes advertências: “Não tentem fazer isso em casa” kkkkkkkk. Obrigado minha amiga pela leitura e comentário! Beijo no coração

    • O instinto de proteção materno já é forte, imagina diante do filho que chama em chamas. Fiquei admirada de você lembrar com tão tenra idade. Agora descobri quem é a sua revisora de conteúdo e o editor chefe, risos. Muito bom ver seu respeito e carinho por eles. Bjssss.

    • panografias disse:

      Nem te conto da alegria da família quando levei meu pai para vacinar ontem (88anos) e postei as fotos no grupo. Foi comemorado como título de copa do mundo. É o mínimo que podemos fazer por eles né? Obrigado novamente… bjssss

  6. magicamistura disse:

    Ô saudade boa… brincando tipo bicho…kkkkk Gratidão

  7. Gabriela disse:

    Vocês eram atentados em? rsrs Ainda bem que no fim todos ficaram bem, mas que susto deve ter sido!
    Eu sou medrosa com fogo, desde criança morro de medo rs
    Beijão querido

    • panografias disse:

      kkkkkk até que eu não era tanto Gabriela (neste caso até tentei salvar o animalzinho rsrsrsrs). Mas o relato serve de alerta para os pais de primeira viagem e para adultos também. Socorri uma vizinha em chamas. Estava amamentando e foi passar álcool nos braços justamente na cozinha e aconteceu a mesma coisa. Graças a Deus, o susto foi maior do que os estragos. Obrigado pela leitura e comentário minha cara amiga… beijo no coração!

  8. Rita Cidreira disse:

    Arteiros. Criança que brinca com fogo mija na cama, viu.
    Muito bom.

  9. Ah se eu fosse contar as minhas… esse olhar bem humorado alegra as lembranças e aquece o coração ❤❤

    • panografias disse:

      Minha irmã ligou de Campinas para minha mãe dizendo que teve um crise de risos por mais de meia hora ao ler, Alda. Tente contar suas histórias também. Não podemos mudar nada do que aconteceu, apenas escrever de uma forma diferente… acho que nasci para arrancar sorrisos kkkkkkk. Obrigado sempre minha querida amiga…. beijo no coração

    • Arrancar sorrisos é uma missão linda… parabéns

  10. Anônimo disse:

    Meus irmãos e eu colocávamos sal nas lesmas. Diziam que ela dissolvia, mas nunca cheguei a ver… felizmente. Rsrs

    • panografias disse:

      kkkk acho que estou velho para fazer estas experiências, mas que me deu um comichão aqui nas ideias deu kkkkkkk Tenha um fim de semana abençoado! Abraços

  11. Vall Nunnes disse:

    Sandro,danação de menino conheço bem. Meus irmãos e eu fomos no bons nisso!
    Sua mãe deve ter esbravejado na época. O bom é rir de acontecimentos assim.
    Aqui teve até pequenos César,tocando fogo em um casebre de palha de uso comum dos moradores aqui do beco.
    Xeru

    • panografias disse:

      Meu blog tornou-se um confessionário Vall kkkk. Como disse a Chica, cada crônica destas são relatos probatórios para beatificação em vida de minha mãe” kkkkkkk. Hoje ela ri, mas já levou cada susto. Adoraria ler seus causos, até faço a ideia rsrsrsrs. Obrigado pela leitura e comentário minha amiga… tenha um domingo irradiante de feliz! Beijo no coração

  12. toninhobira disse:

    Uma lembrança num bom causo contado a beira de um fogão a lenha esperando um mingau de fubá com muito queijo fresco. Lições repassadas e sustos com a curiosidade do novo.
    Muito bom amigo.
    E no ano de 1966 eu perdia uma irmãzinha vítima de fogo num fogão a lenha quando cozinhava um ovo caipira.
    Meu abraço amigo.

    • panografias disse:

      Meus sentimentos meu caro amigo! Esta lembrança serve de alerta para os perigos do fogo e do álcool, tão presentes e necessários nos dias de hoje. Ainda mais nas mãos de crianças. O bom humor presente na crônica não ameniza os perigos da combinação dos dois, assim como relato aqui. Obrigado Toninho, pela leitura e comentário… um forte abraço!

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: