Primeiro Ato

Primeiro Ato
.
Quando a pele arrepia falando em braille
Dando sinais de que a volúpia vem à tona
Ao sentir tua nuca com os beijos, Dona
Fantasio como conduzisse em um baile
.
Sinto o perfume de jardim florido
E sei que é a tua alma que exala
A doce lascívia que nos embala
Molha-nos inconsciente o não proibido
.
Minha mão abrupta junta nossos corpos
Entregas-te tu totalmente hipnotizada
Minhas mãos não param de ser abusadas
Ancorando entre o lingerie e o teu porto
.
Penetro-te forte, porém te trago leve
Neste ápice minh’alma com a tua copula
Nossos corpos tesos por palavras chulas
Ao gozo viram um só corpo que escreve
.
Autor: Sandro Ernesto 07/05/2013

Você pode gostar...

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: