O primeiro ” Mister M “

O primeiro Mister M

__Sandro… já pensou se… um rapaz filho único, casasse com uma moça também filha única ?!…a pergunta veio seguida de gostosa gargalhada. Ainda meio intrigado com a pergunta, sem mesmo saber se era uma pegadinha ou piada, respondi ao término de sua gargalhada :__ Não uai ! O que é que tem isto ?!
__ Os filhos deles não terão nem tio e tia, muito menos primos e primas! ( gargalhada )… que triste isto… não acha?! e mais e mais gargalhadas se seguiram.
          A Cláudia era esta pessoa. Exatamente assim ! Capaz de pensar em algo não muito comum de se pensar e, por estas e outras, queria tanto publicar seu primeiro livro de poesias. Verdade é que, era maravilhoso seu livro. Vinha de pensamentos como o diálogo acima, até a preocupação com a escassez da água no mundo. Coisas de poeta. Decidimos entre amigos, irmãos e vizinhos que faríamos uma apresentação infantil para arrecadar fundos, com direito a palhaços e domadores de cachorros..coisas deste gênero. Eu , como sempre quis inovar :
__Farei um palhaço mágico!
__Palhaço mágico?! A única mágica que sabe fazer é desaparecimento de doces! exclamou a Cláudia, seguida como sempre de gargalhadas. E tinha razão. Mas estava decidido a levar meu projeto adiante. Passei a semana inteira criando e preparando minhas mágicas debaixo do maior sigilo. Confesso que, os acessórios e figurino desta minha apresentação, custou-me os olhos da cara mas, inesquecivelmente me trouxe a alegria no coração.
Finalmente chegou o dia do ” Festival de Palhaços “. Entre as apresentações de todos os números ensaiados, a maioria rendeu boas gargalhadas da criançada, justamente pelas trapalhadas dos palhaços. O errado acabava dando certo… e foi por esta linha que fiz minha apresentação.
          Fui apresentado pelo Anfitrião do circo e entrei em cena. Dois palhaços entraram carregando minha mesa devidamente preparada. Com um sotaque americanizado misturado com caipira comecei meu número: Tirar coelhos da cartola. Minha cartola tinha um fundo que deslocava juntamente com uma pequena tampa em cima da mesa, invisível aos olhos dos espectadores. Um fino elástico fazia que ambas voltassem ao lugar assim que tirasse a mão.
__Agora preparar olhos que ieu tirar coelho! disse com um ar de seriedade, que para alegria e surpresa da criançada… saiu uma galinha. ( risaiada geral )
__Bem … eh… preparar olhos que agora sair coelho !… e saiu um pombo que voou. Posou no meu ombro e depois ficou no aro da cesta de basquete, bem acima do público, o que fez aquele momento ficar mais mágico.
Nas outras tentativas saíram balões recheados de confetes que estourava dando um efeito visual magnífico. Lenços indianos de todas as cores, coelhinhos da índia e o tão esperado coelho branco , que lógico, após um abracadabra já revoltado apareceu.
            Terminada a primeira parte da minha apresentação , acontece a ” Primeira Revelação do Mundo da Mágica “. Dois palhaços entram e levantam a mesa para ser retirada do palco. Para a surpresa de todo mundo… lá estava o meu assistente vestido de mágico dormindo abraçado com gaiolas, penas na boca , balões e tudo mais no chão. A gargalhada foi geral e mais ainda quando, desesperado fico chutando o dorminhoco para que acordasse. Estava consumado. Eu seria o primeiro ” Mister M ” ( aquele que revelava os segredos de mágica na programação do Fantástico ). Apesar de muitos disserem que havia acabado com o encanto da mágica, houve muitos outros que, por sua vez me defenderam devido a originalidade. Segui a apresentação com outros truques de mágicas. Meu assistente tirava um varal de lenços coloridos do meu bolso ao puxar um cravo branco, soprava meu dedo em uma das mãos enquanto enchia um balão na palma da outra mão , e da varinha mágica tirava outros lenços… seguido de mais alguns outros pequenos truques. Dizer que tirei o encanto da mágica é cruel e desnecessário pois, mágico é ainda ouvir as gargalhadas da criançada até hoje, como fossem estrelas no céu brilhando. Fosse isto verdade, não seríamos convidados a fazerem outras apresentações. De ” Mister M ” eu aventurei depois em personagens como : ” O Encantador de serpentes ” que me rendeu outras tantas gargalhadas e novas histórias, mas… isto vai ficar para uma outra hora. Quem viver, lerá ! Abraços


Você pode gostar...

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: