No meu quintal

.

No meu quintal

Ao pé da letra

Poesia é fruta

Sonhar é normal

.

No meu quintal

Descasco um verso

Chupo uma rima

Tão doce é o final

.

No meu quintal

Escrevo em folhas secas

E ao pé da letra

Durmo um soneto

Acordo careta

Meio triste, meio down

No meu quintal

Graveto é lápis

O chão é lousa

Desenho um trevo

Sai uma trova

Em odisseia  de imortal

.

Do meu quintal, visito planetas

Viajo o universo em mutação

Na sombra, deitado ao pé da letra

Escrevo o que transborda meu coração

.

Letra e música : Sandro Ernesto 22/03/2014

Você pode gostar...

53 Resultados

  1. Dulce Morais disse:

    Sandro,
    O meu quintal também é desses… sobretudo com o sol que regressa agora…
    Abraço!

  2. Obrigado meu amigo… um forte abraço !

  3. O sol não pode faltar Dulce … fico feliz que nossos quintais sejam iguais ! Beijos no seu coração !

  4. Vall Nunnes disse:

    No meu quintal…
    Capim vira rainha
    brincava sozinha
    No meio do bananal

    Lembranças de uma infância tranquila e feliz.

    Até logo poeta!

  5. Que bom que estas lembranças estão vivas na sua memória Vall… esta música foi feita enquanto eu viajava no tempo !!! Obrigado pela visita e comentário … beijos no seu coração !!!

  6. Boa Tarde Poeta belo Soneto gostei parabéns

  7. Obrigado meu amigo… um forte abraço !

  8. Saudade do tempo em que eu tinha quintal.Valeu Sandro.

  9. Realmente os quintais, são um mundo à parte quando somos crianças… um forte abraço Marco Antônio e tenha um domingo abençoado !

  10. E.P. GHERAMER disse:

    Belíssimo!
    mais uma vez, muitos parabéns, Sandro!

    • panografias disse:

      É com muito carinho que recebo seu comentário E.P Gheramer … sempre tão gentil. Deixo aqui registrado o meu agradecimento e meu abraço sincero e amigo !

  11. Muito bom, adorei! Sucessos poeta amigo!

    • panografias disse:

      Olá Elias… obrigado pela visita e comentário meu amigo! Fico feliz por ter gostado… na minha infância, o meu quintal era um mundo à parte. Um universo paralelo onde tudo acontecia na minha imaginação. Um forte abraço meu caro amigo!

  12. Radar Mundial disse:

    Parabéns pelo post
    radarmundial.com

  13. ♡Recitos disse:

    Voltei na minha infância!

    • panografias disse:

      Obrigado pela presença e comentário minha querida amiga… acho que é um lugar bom de visitar sempre, não ?! Um forte abraço

  14. Lembrei da minha infância de quando subia nas árvores rs. Abraço

  15. prjosemartins disse:

    Olá Sandro! Amei sua música: Melodia, letra e a árvore cheia de criança. Avança!

    • panografias disse:

      Fico feliz por ter gostado meu querido amigo… realmente a árvore cheia de criança é algo inspirador, não acha?! rsrsrsrs Obrigado meu caro… um forte abraço!

  16. JCDattoli disse:

    Legal, Sandro. Você cada vez mais criativo. Gostei bastante dessa poesia!!!

    • panografias disse:

      É muito bom saber que gostou JCDattoli… obrigado pela visita e comentário sempre tão gentil. Um forte abraço, meu caro amigo!

  17. dulcedelgado disse:

    Um belo momento!! Parabéns!

  18. mardepoesia disse:

    Bela música! Adorei!

    • panografias disse:

      Olá Susana… é um prazer receber sua visita e comentário aqui no blog. Bom saber que também gostou… Um beijo no coração !

  19. mariel disse:

    Não sabia que você era músico também. Tive uma árvore no quintal, me levou pra lá, muito grato.

  20. Rodrigo Meyer disse:

    Muito bom. Sucesso pra ti.

    • panografias disse:

      Rodrigo, meu caro amigo… fico feliz que tenhas gostado. Na foto do vídeo, são meus filhos e sobrinhos na árvore ( todos adultos hoje)… por estas e outras eu tenho um carinho enorme por esta música! Obrigado… um grande abraço!

    • Rodrigo Meyer disse:

      É o lado bom da vida. Olhar pra quem gostamos e encontrar satisfação na satisfação deles. Por tudo que produz, tenho certeza que deve ser uma pessoa marcante entre sua família e amigos. Esse é o legado que fica.

    • panografias disse:

      Disseste bem meu caro amigo: Esse é o legado que fica! Novamente obrigado

  21. Gabriela disse:

    Muito lindo mesmo!
    Ah se os nossos quintais pudessem falar, não é?
    ❤️

    • panografias disse:

      Eu tenho doces lembranças e acredito que meus filhos tiveram também… agora é a vez dos netos! Se estes quintais falassem heim, Gabriela?! kkkkkk Beijo no coração

  22. Excelente poema, “Do meu quintal, visito planetas”.

  23. azurea20 disse:

    Envidio tu cuarto trasero que tantas alegrías te da. Yo quiero otro cuarto trasero igual. Un abrazo amigo.

    • panografias disse:

      Es un gran placer recibir tu visita y comentar aquí en el blog mi querida Azurea … créeme, ya tienes uno. Solo descifralo. ¡Que tu fin de semana sea bendecido y feliz! Beso en el corazón

  24. Maravilhoso Sandro! ❤ Fez-me recordar o livro “Meu pé de laranja lima” que a minha bisavó, nascida no Rio de Janeiro, me ofereceu quando era mocinha. Poema e música sublimes. Bom fim de semana amigo! ☀️

    • panografias disse:

      Você nem imagina o quanto fico feliz com seu comentário Filipa. Gratidão! Sua bisavó tinha bom gosto. Li o livro e assisti a novela e as vezes penso que a história do Zezé foi baseado na minha infância kkkkkk coincidências é que não falta! Que seu fim de semana seja iluminado… beijo no coração!

    • Que bonitas recordações Sandro! A minha bisavó tinha passaporte brasileiro e adorava o Brasil! Foi ela que me deu a conhecer José Mauro de Vasconcelos, Jorge Amado, Érico Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade, a Bossa Nova… O Brasil é tão rico! Um beijo no coração e um forte abraço.

  25. Léo Campos disse:

    Que delícia de poema. Que delícia de quintal. “Poesia é fruta”.

    • panografias disse:

      Que delícia de comentário Léo… me fez lambuzar de alegria! São nos quintais primeiramente que descobrimos novos mundos… observando uma maçã caindo podemos até criar uma teoria ou lei universal kkkkkkkk. Que seu fim de semana seja de bênçãos…. beijo no coração!

    • Léo Campos disse:

      “São nós quintais primeiramente que descobrimos novos mundos…” que bonito. Me lembrou Manoel de Barros. Beijão pra ti. Teu poema me alegrou. Teu comentário também.

  26. Fernando Rozano disse:

    O meu quintal ainda vive, intenso, forte, alegre, triste, cheio de árvores, galinheiro, uma parreira, um muro onde chutava bola….meu quintal tinha muita fruta, abóbora, chuchu,…tinha a minha ingênua vontade de crescer. Hoje, não tenho quintal. Tenho saudade de um tempo que insiste e já me disse que nunca vai me abandonar. Música….lá no meu quintal meu pai e minha mar tomavam chimarrão escutando tangos e milongas e nós aumentávamos o volume para os Beatles e a Jovem Guarda. O meu quintal. Ele continua sendo tudo sobretudo uma canção. Abraço imenso e carinhoso sempre.

    • panografias disse:

      Isto me leva a crer que os “quintais” são atemporais e podemos visitá-los quando bem entendermos, não acha Fernandíssimo?! Realmente são lembranças de um tempo que nunca nos abandona. Fico feliz que tenha viajado na canção do seu quintal. No coração ela não toca, ela pulsa! Gratidão meu caro amigo de Poá… um forte abraço com a mesma intensidade e carinho de sempre!

Deixe uma resposta para Marco Antônio Cancelar resposta

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: