Miçangas

Miçangas
 
Não adianto e nem adianta
engulo toda verdade dentro de minha garganta
Mais que verdade, vaidade
não posso aceitar o que nos impõe a sociedade
 
Poeta pra mim pode ser um
salvou tantos pra ser um dos duzentos e quarenta
Poeta pra mim morre na cruz
enquanto muitos largam a sua porque não aguenta
 
Não decoro trecho da Bíblia
faço Dela o meu caminho e não o meu dicionário
Falando de amor escreva uma
quem fala de amor é poeta e também missionário
 
A mágoa é um veneno cruel
que deixamos percorrer em nossa veia por orgulho
Tem como antídoto o perdão
que mantem limpo o coração de ainda mais entulho
 
E não adianto e nem adianta
aprendi ter aceitação mas nunca cruzar os braços
A vida merece ser bem vivida
porque do Pão da Vida nunca nos falta um pedaço
 
07/03/2013
 

Você pode gostar...

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: