Gostosa

Gostosa
 .
Não… Não se vestiu para a ocasião
Nem tão pouco apareceu pintada
No corpo o vestido de tecido leve
Tão transparente quanto desejava
.
Os seios que percebi enrijecidos
 Livres deixou-a feminina, excitava
Fez que aumentasse de volume
Hora que o som também aumentava
.
Colado o corpo dela junto ao meu
Minhas mãos o vestido levantava
O polegar em gancho puxava o fio
Que de tão fino sua pele penetrava
.
A boca buscava na boca tua alma
A língua escapava da mordiscada canina
Nesta dança em seu corpo sou comparsa
Sou refém no compasso desta menina
.
Sem responder pelo óbvio e obsceno
Não precisou se despir para a ocasião
Nem tão pouco precisou estar pintada
Para que pintasse o êxtase ali no chão
.
Autor: Sandro Ernesto 01/08/2013

Você pode gostar...

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: