Ano novo de novo

Ano novo de novo
E eu eufórico de aforismos
em desaforo mundo afora
risco de lápis de memória
toda minha metidez nítida.
A de Nietzche admito tinha
admite que de mito tinha
dinamites de fazer história.
.
Se parei separei a pensar…
[  ansiedade é pressa de presságio  ]
Na sabatina passou-me sabão o sábio
pois a sombra assombra minha Odisseia.
Deleto o delito de me apaixonar
pois um dia com dinheiro odiaria
pagar a diária de um dúbio amor.
.
Laico louco de solta língua
lacaio de meus sentimentos
sou o roteiro de ideias vãs
[  leviano é o mago magoado  ]
levei anos para estar aguçado.
Sou prego no angu da angústia
discípulo que dissipa dúvidas
e decepa a decepção com aço.

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Dos que vc postou hoje, este foi o que mais gostei. Muito legal!

  2. Obrigado meu amigo pela presença ( sempre carinhosa )… também tenho uma certa preferência por esta poesia ! Um forte abraço Marcos Satoru e que tenhas uma semana iluminada !

  3. Alexandre disse:

    Feliz ano novo, Sandro! Muita paz e poesia sã pra passar por mais ciclo neste mundo louco e caduco.

    • panografias disse:

      Obrigado meu caro amigo! Desejo-te muita saúde, muita paz e amor e muita poesia na sua vida ou vida na sua poesia ( como queira kkkkkkk ). Um forte abraço e que venha 2016 !

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: