Analista Químico

 

          As noites na siderúrgica de alto forno eram tranquilas e a balança só entrava em ação por duas ou três vezes. Era nesta hora que o Seo Zé aparecia para pegar as amostras de ferro gusa. Suava tanto que podia torcer a camisa. Ao ser questionado o motivo de tanto suor, sua resposta foi que era pressa para deixar as análises químicas prontas dentro do horário. Prontifiquei-me a levar as amostras para o local de preparação se assim ele quisesse ao que ele aceitou prontamente. Estava prestes a se aposentar e o cansaço já era evidente. Assim que chegava com as amostras, Seo Zé as levava para uma furadeira de bancada. Limpava cuidadosamente com um pincel toda área plana (para não haver contaminação) fazia um primeiro furo. Limpava as migalhas de ferro, e só no terceiro furo mais profundo juntava um pouquinho daquela migalha, moía no gral, e colocava em um pequeno envelope cuidadosamente numerado, datado e com o horário da produção. Achei tão fácil que me propus a fazer aquilo também para ele, se assim permitisse. Tomaria todos os cuidados necessários.

          E foi assim que tive meu primeiro contato com o laboratório. Primeiro Seo Zé pesava em uma balança de precisão, um grama de cada amostra. Colocava em vidros graduados de formatos diferentes que descobri ter nomes de Becker e frasco Erlenmeyer. Achava que seria impossível pesar aquela quantidade. Que nunca conseguiria. Ao dizer isto, Seo Zé pegou outros frascos e perguntou-me se gostaria de fazer a análise paralelamente com ele. Não precisou perguntar duas vezes. E assim foi me explicando pacientemente todo o processo. Análises de silício, manganês, fósforo, matéria volátil, etc. Era realmente fascinante. A química é fascinante.  Minha amizade com Seo Zé era fortalecida pela confiança depositada em mim, ao ponto de me deixar fazer sozinho as análises sob sua supervisão. Nada escapava as minhas perguntas, assim como nada escapava ao seu olhar. Seo Zé agora já não suava tanto… Pelo menos nos horários noturnos.  Água destilada, Bureta, Pipeta volumétrica, Cadinho, Becker, frasco Erlenmeyer assim como os ácidos nítrico, sulfúrico, fosfórico e soluções sulfonítricas já não eram desconhecidos para mim. Minha felicidade era exatamente do mesmo tamanho da curiosidade que tinha em conhecer um pouco do universo da química.

          Certo dia, durante o turno da manhã, a Técnica responsável pelo laboratório solicitou minha presença com urgência. Já havia disponibilizado outra pessoa para ocupar meu lugar na balança. Gelei. Fui demitido!…Pensei com meus botões. Com cara de poucos amigos, me perguntou se já havia feito análises químicas naquele local. Olhei para Seo Zé que só acenou com a cabeça positivamente, antes de responder. Ainda com cara de poucos amigos, pediu-me que fizesse uma análise aleatória de três amostras anteriores. Novamente o Seo Zé acenou com a cabeça positivamente. Com minhas pernas bambas, sem entender muito o momento refiz as três. Ela conferiu atentamente. Sem esboçar um sorriso sequer disse-me: A partir de hoje você está classificado como analista químico… O salário não é muito alto mas ganhará duas vezes mais do que ganhava antes… Começa amanhã mesmo com o Seo Zé, já que foi ele quem te apadrinhou… Você quer?!

          Acho que ela entendeu meu grito como um “sim” porque foi o único momento em que sorriu com minha explosão de felicidade. No outro dia, já como analista químico, Seo Zé confidenciou-me que estavam à procura de um profissional para ocupar aquela vaga havia um bom tempo, mas que eu havia caído do céu. Em todos os seus anos de laboratório, ele conhecia como ninguém os processos de análises químicas, mas que eu havia lhe ensinado a química da gentileza. Abraçou-me tão forte em seguida que uma lágrima escorreu dos meus olhos. Não… Não de emoção… Foi pela falta de ar causada pelo abraço apertado. Além de generosidade, Seo Zé tinha muita força! Se tinha…

Sandro Ernesto 30/09/2020

Você pode gostar...

17 Resultados

  1. foureaux disse:

    O concreto cotidiano também rende lições instigantes e inesperadas!

    • panografias disse:

      Boa noite meu querido amigo… já faz um bom tempo que não tenho carteira assinada. Hoje folheando-a achei este registro e me veio a tona este momento! A gratidão me envolve. Obrigado sempre! Tenha uma noite abençoada… Um forte abraço!

  2. JCDattoli disse:

    Parabéns, Sandro. Você foi primoroso na narrativa desse importante momento da sua vivência profissional. Valeu a leitura!!!

    • panografias disse:

      Datolli, meu querido amigo… contei várias vezes este episódio para meus filhos no intuito de incentiva-los a serem mais prestativos e a praticarem a gentileza sempre, não a espera de recompensa, mas na certeza de que ao sermos solícitos, a paz no coração é nossa recompensa! Sensação de dever cumprido! Obrigado sempre meu caro… um grande abraço!

  3. dulcedelgado disse:

    Foi um grande Abraço, em todos os sentidos!

    • panografias disse:

      Sim Dulce… ele me abraçou no sentido mais amplo da palavra. O mais engraçado é que jamais pensei em trabalhar em algo parecido… e as coisas aconteceram naturalmente, como devia ser a trinta anos atrás. Obrigado pela leitura minha querida amiga! Beijo no coração

  4. Esse anjo sempre aparecendo em muitos lugares… gostei da narrativa!

    • panografias disse:

      kkkkkkk Lembrei-me da piada dos caipiras que, depois de perderem todo dinheiro foram roubar a igreja… de repente o Padre chega de supetão e pergunta: Quem está aí ?!… um deles apertado responde: Nois é anjoooo! e o padre retruca: Ah é?!… então voa! E ele responde: Num dá… nois ainda é fiote! kkkkkkkkkkkk Obrigado pelo carinho de sempre minha querida amiga ,mas ainda sou fiote kkkkkkkk Beijo no coração!

  5. Gabriela disse:

    Que incrível, Sandro!
    São as coisas mais simples que fazem toda a diferença 🙂

    • panografias disse:

      Na minha música “Amanheceu” tem estes versos Gabriela: “… Faça a diferença, estenda a sua mão… um gesto de carinho já faz a revolução”. Acredito nisto, sempre! É como um simples jogar de pedras no lago que provoca o movimento das ondas. Obrigado pelo comentário carinhoso minha querida amiga! Beijo no coração

  6. Bia Perez disse:

    A vida se encarrega de encaixar tudo na hora certa Sandro. Percebemos melhor com o tempo. Sempre estamos no lugar certo… na hora certo. Adorei sua história

    • panografias disse:

      Acredito que sim, Bia … como diz o ditado: “…o que é do homem o bicho não come”. Acredito também que depende de nossas ações. O fato é que guardo com carinho estes momentos… a foto é da minha carteira de trabalho (acho que estou ficando velho kkkkkkkk) Obrigado sempre pela visita e comentário tão afetuoso! Que seu fim de semana seja abençoado… beijo no coração!

  7. Rodrigo Meyer disse:

    Muito bom. Energias que abrem portas.

    • panografias disse:

      Um budista talvez diria que é lei de causa e efeito, que toda ação corresponde a uma reação, Rodrigo. Folheando minha carteira de trabalho (foto que ilustra este post) voltei aquele dia, 30 anos atrás… e me deu uma saudade gostosa. Concordo que energias abrem portas! Obrigado pelo comentário meu querido amigo… que seu fim de semana seja abençoado! Um forte abraço

    • Rodrigo Meyer disse:

      É isso aí. Temos que plantar o melhor que pudermos, pra colher o melhor que vier.

  8. Odonir Oliveira disse:

    Que beleza, você ainda é, também, um excelente cronista.

    • panografias disse:

      Obrigado minha querida amiga… este comentário vindo de você é mimo para se guardar no coração! Então Odonir… sempre acho que quando escrevemos sobre nossas vivências, tende a sair naturalmente. Tenho mais dificuldades para escrever ficção. Que seu fim de semana seja de abençoado e feliz! Beijo no coração

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: