Prometeu

.

E cada qual na sua galáxia

Todos na sua insignificância

Se fizessem uma sindicância

Que relevância tenho eu ?

.

Se sou um zero à esquerda

Que me isenta qualquer valor

Mesmo que provido de amor

Impõe o castigo de Prometeu ?

.

Come poesia durante o dia

Que a noite a rima regenera

Pois o amor nesta atmosfera

É o fogo que roubei de Zeus

 .

Autor: Sandro Ernesto 11/05/2013

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Fico feliz Zaida pela sua visita e mais feliz por ter gostado ! Abraços

  2. Dulce Morais disse:

    Sandro,
    Um fogo roubado, talvez, mas devolvido à providência com tanta magia que só podemos adorá-lo. 🙂
    Grande abraço!

  3. Prometeu rouba o fogo de Zeus para dá-lo aos mortais por isso é castigado sendo amarrado numa rocha onde, uma águia comia seu fígado que no dia seguinte estava regenerado. O poeta é como Prometeu que por amor à escrita submete-se ao doce castigo de estar sempre " regenerando poesias " todos os dias. Obrigado Dulce pela presença e comentário…. sempre é bem-vinda ! Beijos no seu coração

  4. Isa Lisboa disse:

    Obrigada por nos trazer esse fogo, Sandro!

  5. Sem trocadilho, se prometeu tem que cumprir né ?!! kkkkkkkk Eu que agradeço pela visita e comentário Isa… beijos no seu coração !

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: