Língua de fogo ( Museu Nacional )

.

Quo vadis covarde?!

Em si Nero vociferava!

Incinera a verba para o museu,

Todo acervo em chamas ardeu,

E nenhuma lira foi tocada?!

.

O fogo afaga a história,

Na Quinta da Boa Vista.

Paleontólogo odeia cremação,

De Luzia esperam a exumação,

Ainda sonha o cientista.

.

São ócios do ofício,

Ossos duros de ruir.

Se fosse fóssil fácil seria,

Paliativo da paleontologia,

Como Fênix ressurgir?!

.

Tinha o dom Dom João VI,

De ver o futuro no passado.

O Museu é patrimônio nacional,

De valor histórico e cultural,

Língua de fogo lambe o bicentenário!

.

Sandro Ernesto 07/09/2018

H

Você pode gostar...

17 Resultados

  1. estevamweb disse:

    É Sandro… QUO VADIS… covardia … sua poesia sintetiza o que nos rodeia…

  2. foureaux disse:

    O avesso de pentecostes…

  3. Joao Barros Valim disse:

    Muito bom! Parabéns!

    • panografias disse:

      É bom saber que gostou meu caro amigo… fico feliz com isto. Quantos patrimônios iremos ainda perder pelo descaso do poder público?! Obrigado pela visita e comentário João Barros… tenha um fim de semana iluminado! Abraços

  4. chus disse:

    Un desastre

Seu comentário é sempre bem-vindo, Amigo... obrigado !

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: